CARTA AOS LEITORES - SETEMBRO DE 2020

Passei quase todo o mês de agosto a gravar episódios do podcast “Conversas Despreocupadas” e a produzir os vídeos do curso onlineInvestir na Bolsa“, cujo lançamento está previsto para o dia 12 de setembro de 2020.

Recebi vários emails a pedir sugestões e orientações de vida/carreira e por isso decidi partilhar alguns desses emails, e respetivas respostas, na carta deste mês de setembro de 2020.

Além disso, e como prometido no mês passado, nesta carta partilho igualmente a conversa que tive com um empreendedor que criou um empresa do zero, levou-a a faturar 11 milhões de euros e viu tudo desmoronar em menos de um ano.

Espero que estas partilhas te inspirem…

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pocket
Share on email

PERGUNTA 1

Bom dia Pedro:

Antes de poder avançar gostaria de ter a tua opinião.

Tenho um Bacharelato em […], Licenciatura em […], e Master em […]. Estou a tirar uma Pós-Graduação em […] e tenho 52 anos. De facto, o meu objectivo é mudar de área, ou seja deixar a área de […] e tinha como objectivo ir para a área do Turismo. Trabalhei quase sempre na área de […], embora tenha dado aulas, tenha estado na área comercial do ramo imobiliário. Acontece que o setor do Turismo está a atravessar uma fase má e anuncia-se nos próximos meses um regresso do Covid-19. Para além disso é uma área em que as pessoas são mal pagas. Juntando nenhuma experiência, setor do Turismo em crise e maus salários, a perspectiva não é muito satisfatória.

Considero , como sempre fiz, a possibilidade de procurar emprego noutras áreas, mas para tudo é preciso formação. Embora já se vá falando em competências pessoais, acho que ainda não se aposta nessas competências no caso das pessoas que estão a iniciar-se numa nova área.

Gosto de solidariedade social, crianças, animais, natureza e sei que devo fazer algo neste campo. Atenção que Turismo é servir pessoas, portanto está sempre implícito o lado solidário.

Assim, sem querer que sejas um santo milagroso, o que me aconselhas na minha pesquisa de emprego?

Fico a aguardar o teu contacto.

AS MINHAS SUGESTÕES

Olá, bom dia.

Os empregadores valorizam cada vez mais as chamadas soft skills. São competências que não estão relacionadas com os cursos universitários, a universidade onde estudaste… isso começa a interessar cada vez menos.

Não posso ser eu a decidir quais as áreas onde deverás centrar a tua procura de emprego mas posso dizer-te quais são as competências que são mais valorizadas pela maior parte das entidades recrutadoras:

  • falar de forma a prender a atenção e criar empatia
  • competências de marketing digital
  • gestão de redes sociais
  • facilidade em falar sobre vendas e concretizá-las
  • capacidade de criação de sites em WordPress e lojas online (em WooCommerce ou Shopify)
  • excelente capacidade de escrita (para sites, blogs, newsletters)
  • capacidade de criação de newsletters em plataformas como o MailChimp
  • noções (básicas ou avançadas) de copywriting (também chamada de escrita persuasiva)
  • gestão administrativa e de stocks utilizando ferramentas online

Percebes?

Estas são as competências que qualquer empresa está interessa em ter internamente e está a pagar bem a quem as possua.

Não sei se já deste uma olhadela à lista de livros que refiro neste artigo, mas vale a pena conferires: https://silva-santos.com/lista-de-livros/

Muitas destas competências têm sido discutidas por mim e pelo Francisco no podcast “Conversas Despreocupadas”. Podes ouvir os episódios aqui https://silva-santos.com/podcast/, no iTunes, Spotify ou outras aplicações de podcasts.

Associado à leitura de alguns livros e à audição de episódios do podcast, sugiro que comeces a escrever 10 ideias por dia. Escreve coisas que poderias fazer para melhorar o setor do Turismo, coisas que poderias fazer para melhorar um produto ou serviço de um empresa onde gostarias de trabalhar, 10 ideias que poderias implementar para começar a ganhar dinheiro imediatamente, 10 ideias para melhorar as máscaras que toda a gente está a usar nesta fase do COVID, etc…

Se te obrigares a escrever 10 ideias por dia estarás a obrigar-te a sair da tua zona de conforto e estarás a exercitar o “músculo da criatividade”. Se começares a implementar algumas dessas ideias, acredito que em breve vão começar a aparecer-te oportunidades que nunca imaginaste. Eu sei que isto parece conversa fiada e espiritual barata… mas acredita, se fizeres isso durante algum tempo vais conseguir encontrar o caminho e a resposta que procuras para a questão que me colocaste:

o que me aconselhas na minha pesquisa de emprego?

Melhor do que dizer o que deves e onde deves procurar, e arriscar-me a não dizer nada que esteja alinhado com o que pretendes fazer daqui para a frente, decidi partilhar qual é o método que me tem levado a responder à pergunta que também coloco a mim próprio diariamente:

o que quero fazer a seguir?

Espero ter sido útil… 😊

Bjs e até breve.

PERGUNTA 2

Boa noite, Pedro :

Como combinado, envio o modelo de CV e carta de apresentação que pretendo enviar à empresa […]. Criei em formato Powerpoint o meu CV, que quero também enviar para candidaturas espontâneas e anúncios na área do […]. Não menciono a minha experiência profissional, porque não a tenho nessa área e pensei somente enviar no caso de ser solicitado. As imagens foram retiradas da net, e gostaria de saber se o posso fazer por causa da proteção de dados. O que é certo é que não consigo sozinha obter o tipo de imagens e com a qualidade  que aparece na net.

Como já troquei alguns e-mails com a empresa acima referida, pensei enviar um novo somente com o seguinte texto :

“Após a troca de alguns e-mails tomo a liberdade de enviar o meu CV.

Gostaria que pudessem manifestar a vossa opinião sobre o possível enquadramento do meu perfil nas vossas ofertas de trabalho.

Aguardando o vosso contacto, subscrevo-me com a máxima consideração.

Melhores cumprimentos,”

Aguardo os teus comentários.

AS MINHAS SUGESTÕES

Olá […],

Vou ser muito direto, frio e pragmático! Prepara-te, porque vai doer!

Assim ninguém te vai ligar nenhuma! 😉

Já leste o meu livro “Como conseguir emprego em 30 dias”? Se já o leste, fico muito preocupado porque acabaste de fazer tudo ao contrário! 😊

Não deves enviar um powerpoint editável, com 4Mb, para nenhum entidade recrutadora. Na maior parte dos casos, os servidores das empresas vão bloquear o teu email.

Além disso, não peças os potenciais recrutadores para manifestarem a sua opinião. Ninguém vai ficar com vontade de analisar a tua candidatura só porque pediste uma opinião. Lembra-te: tu não queres opiniões, queres que te contratem e por isso tens que escolher cuidadosamente as palavras que escreves no corpo de texto do email, uma vez que esse será o texto que servirá como carta de apresentação.

Num dos capítulos do meu livro refiro a importância de partilhares, nas redes sociais, artigos (de um blog próprio ou de canais digitais que sigas) relacionados com a área de trabalho que pretendes abraçar. No teu caso, quando os potenciais recrutadores forem pesquisar os teus perfis nas redes sociais (ou clicarem nos links que deverias ter na tua assinatura de email), deverão encontrar partilhas interessantes sobre […], […], curiosidades sobre […] das várias regiões de Portugal, etc… percebes a ideia?

Em relação às imagens, não podes utilizar imagens que encontras no Google. No passado recebi uma coima de 1800€ por causa da utilização indevida de uma imagem (de um fotógrafo alemão) que eu fui buscar ao Google.

Deverás utilizar imagens livres de direitos de autor. Podes encontrar imensas imagens gratuitas nestes sites:

www.pexels.com

www.pixabay.com

www.unsplash.com

Em relação ao modelo de CV, fizeste bem em não utilizar o modelo europeu, porque está obsoleto… contudo, não te ponhas a inventar! 😊 Deverias criar o teu CV a partir de um modelo como este… É um modelo que foi lançado recentemente na minha loja online e funciona na perfeição, quer optes por utilizar apenas uma página ou decidas utilizar também a 2ª página para colocar informações complementares ao nível da formação profissional.

Imagino que este não era o email que pretendias receber nesta fase, mas não vale a pena eu estar para aqui a dizer-te aquilo que queres ouvir se não vais obter bons resultados à custa disso.

Reflete sobre o que referi neste email e depois diz-me quais os passos e as alterações que decidiste implementar.

Bjs e até já.

PERGUNTA 3

Olá Pedro,

Já li o primeiro livro “A Ave Rara…” (gostei muito!), e agora estou a ler o segundo (A Ave Rara II…).

Uma pequeníssima nota para te dizer que já implementei uma das tuas técnicas: lembretes no telemóvel! É incrível o quanto ajudam a reduzir a ansiedade do “não me posso esquecer de…“. Compreendo-te tão bem quando escreves que pensavas que não te ias esquecer… Mas esquecias. Obrigada pela sugestão.

A meu ver, pelo que tenho lido, apenas uma observação (e isto vale o que vale): há algumas sugestões que não se encaixam de forma linear no “meu” perfil específico – casa dos “trinta”, trabalha e tem filho(s). Eu sei que o teu objetivo não é alcançar todos: tu alcanças aqueles que querem ser alcançados. Expões o que resultou contigo, fracassos e glórias, e dás dicas. Amigos à mesma, caso não queiram.

Só que, para algumas de nós, falta o conforto de saber que não somos perfeitas, que o puto não vai ficar traumatizado se a mãe tiver um ritmo de trabalho que não lhe permita sempre ser a primeira pessoa que vê de manhã e a última ao deitar ou que lhe dê um berro de vez em quando. Sim, o Facebook ajuda, os grupos de mães partilham memes engraçados e fartamo-nos de rir. Mas há quem queira mais que dar umas risadas e continuar tudo na mesma. Talvez eu tente escrever alguma coisa sobre isso (não em jeito de crítica ao teu excelente livro, mas talvez um complemento desta ideia: Pedro, pah, isso é tudo muito bonito, eu adorava ser assim muito mais produtiva, mas tenho o jantar ao lume, um pirralho a fazer birra porque lhe dei o pêssego descascado e ele queria com casca, um relatório para ver antes de dormir, dizer boa noite ao marido (sexo? ahaha, não me façam rir!) e preciso de um outro tipo de alavanca para simplificar a minha vida, porque esta vida não está funcionar).

… não é uma crítica. É a consequência de me estares a fazer refletir… 😁

Cumprimentos.

AS MINHAS SUGESTÕES

Eh eh eh… adorei receber este teu email e tenho que o comentar! 😊

Em primeiro lugar, vou começar pelo sexo! Necessitas de tempo para viver intensamente a relação com o teu marido… acredita em mim! O pirralho vai crescer, não te vai agradecer nada do que abdicaste na vida pessoal e um dia vai sair de casa e tu vais ficar lá sozinha com alguém de quem te foste desligando porque achavas que o teu filho necessitava de toda a tua atenção.

A minha namorada ama as duas filhas, mas (aprendeu comigo 😊) atualmente não sacrifica nada na nossa relação por causa das pirralhas. Elas têm que crescer e ser independentes… se estiverem sempre debaixo da “asa” da mãe, daqui a uns anos serão umas inúteis/anormais!

Podes levar a mal aquilo que estou a dizer, mas tenho que to dizer para garantir que daqui a 20 anos não me escreves e dizes que eu deveria ter discordado contigo nesta fase! 😊

Pelo menos uma vez por semana, os relatórios podem esperar e o pirralho pode comer apenas um pêssego… tu e o teu marido merecem entrega total nesse período! Não tenho que explicar o que quero dizer com isto, certo? 😊

Se o “puto ficar traumatizado”, haverá boas instituições onde ele poderá fazer tratamentos, no futuro! 😉 Tu é que não deves viver a vida apenas pela metade, dedicando a outra metade ao trabalho extremo e ao que PODE acontecer ao “puto”…

Relativamente aos lembretes, fico muito feliz por ter conseguido “converter” mais uma pessoa!

Por fim, acho que deverias comprometer-te a escrever (nem que seja uma ou duas linhas por dia) estas reflexões e estes teus “medos”. Um dia lanças um livro que, pelo menos, o “puto” vai adorar ler.

Desejo-te um excelente fim de semana, com o “puto” entregue a uma “família de acolhimento” e contigo e o teu marido apaixonados como nos primeiros dias em que se beijaram.

Bjs e até breve.

… dos 11 milhões a ZERO (sim, por esta ordem!) - com Carlos Diniz​

No episódio 39 do podcast “Conversas Despreocupadas” eu e o Francisco conversámos com o Carlos Diniz sobre a rede de empresas que ele criou… e mais tarde viu entrar em processo de insolvência. Uma história de vida incrível…

Também podes ouvir este podcast (gratuitamente) no Spotify, iTunes, Google podcasts e na Radio Public.

login

Faça login para aceder à sua conta.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador.

Quer aprender como é que eu faço?

Preencha os dados seguintes para pertencer ao meu grupo exclusivo