CARTA AOS LEITORES - março de 2021

Tal como aconteceu anteriormente, no mês passado recebi dezenas de e-mails e testemunhos (muitos deles relacionados com o curso online “Investir na Bolsa”) e gostaria de destacar estes 12 por serem os que mais me despertaram a atenção!

Espero que gostes…

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pocket
Share on email

EMAIL 1

Olá Pedro, tudo bem?

Tinha previsto hoje escrever-te um mail “bíblico”, porque fez um ano na semana passada que abri a loja física e pus-me a pensar no processo todo antes da abertura: desde o momento em que me despedi do sítio onde estava, o alívio de me sentir livre daquele ambiente tóxico, até ao dia em que chorei no colo da minha mãe.

Nessa altura de “estou no fundo do poço, vou ficar lá até ter força para subir novamente”, aconteceu um episódio que me marcou muito e me deu outro ânimo. 

Num momento em que não tinha vontade para fazer coisas que gostava e gosto – ouvir música ou podcasts (confesso que durante um tempo deixei de ouvir as tuas conversas com o Francisco) -, houve um dia em que me obriguei a ouvir um episódio do vosso podcast e dei por mim a rir à gargalhada (uma coisa que tinha deixado de fazer, pelo menos, de forma natural). Algo tão simples e normal – rir.

Há algo que já vos queria ter dito aos dois:

Obrigada, obrigada por esse momento, por estarem lá ao meu lado. Apesar de toda a ajuda e apoio da minha família e amigos, que foi crucial, da minha vontade de ficar bem e seguir em frente, foi nesse momento em que dei conta que me estava a rir que se deu um clique e pensei: se consegui rir hoje, também consigo amanhã. Foi a força extra que eu estava a necessitar para avançar. 

Porque, se eu não estivesse mentalmente bem, não conseguiria ir para a frente e dar o salto.

E dei o salto, como sabes, e estou feliz de o ter feito, apesar das dificuldades e noites mal dormidas, sobretudo agora em que, como o Carlos Almeida (ouvi hoje o episódio 62!! Brutal, identifiquei-me com algumas coisas e sim, ajuda muito ouvir pessoas na mesma situação ou parecida), estou com a corda ao pescoço. Acho que foi o episódio, cujo título espetacular vou repetir diariamente, que ouvi mais vezes… são quase 16h30 e já é a 3ª ou 4ª vez que o ouço hoje. 

Sei que vou conseguir ultrapassar isto, principalmente a parte financeira que é a que mais me preocupa. Mas há solução para tudo e eu vou encontrá-la.

E mais uma vez, estas conversas despreocupadas vêm na hora certa. Parece que vocês adivinham (devem ter um contrato com a Maya 😁) quando os vossos amigos ouvintes precisam de um empurrãozinho ou de um puxão de orelhas. Amigo que é amigo é para o bem e para o mal 😉

Obrigada aos dois.

Beijinhos

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Fico tão feliz por receber este teu email! Se ultrapassaste uma fase difícil, ultrapassarás mais umas quantas sem qualquer problema.

Quando é que gravas um episódio do podcast connosco? Acho que já está na hora de fazeres parte da nossa lista VIP 😊 para poderes mostrar ao mundo quem és e para mostrares o teu projeto.

Além disso, creio que está na altura de virares mais o teu negócio para o online. Tens o email de todas as tuas clientes? Escreve-lhes a informar que envias o que elas quiserem por correio, nesta fase. Não baixes os braços só porque te obrigam a ter a loja encerrada ao público. Retoma o contacto com as clientes e ex-clientes pelo Facebook. Lança-te num desafio louco para escoares o stock que tens na loja, não abrandes o ritmo nesta fase difícil.

Quando as restrições passarem, reformula rapidamente o teu negócio. Estrutura um plano para que nos próximos 12 meses possas fechar a loja física e vendas apenas online a partir do conforto da tua casa. Reinventa-te e adapta-te rapidamente porque o mundo dos negócios vai ter cada vez mais oportunidades no digital e grande parte das lojas físicas mais tarde serão apenas “expositores de luxo” que grande parte dos empreendedores nem vão querer dar-se ao trabalho de manter abertos.

Espero que este email seja mais uma “bofetada carinhosa” para começares a desenhar um caminho alternativo.

Pensa: se estivesses a passar fome há 4 ou 5 dias, o que farias? Irias manter os braços para baixo ou irias telefonar a toda a gente a perguntar se quer comprar uma […] para fazer uma surpresa ao […]?

E já agora, será que o […] não está a necessitar de uns […] e de umas […] novas? 😊

Dá-lhe forte porque necessitamos que venhas contar essa reviravolta num episódio do podcast.

Bjs

EMAIL 2

Boa noite Pedro,

Pretendia saber mais informações sobre o curso nomeadamente se tem alguma teórica ou somente o acesso ao seu portefólio e fórum?

Obrigado

A MINHA RESPOSTA

Olá […], boa tarde.

O curso online é constituído por 3 grandes módulos de aulas em vídeo, para que percebas os erros que cometi e como podes evitá-los. As aulas estão todas disponíveis em vídeo e por isso podes vê-las e revê-las durante todo o período da subscrição anual.

Podes ver os módulos do curso nas imagens seguintes.

Clicando na imagem de cada módulo consegues ver a ordem e os temas que discuto em cada uma das aulas.

Como as aulas já estão gravadas, poderás assistir ao teu ritmo e onde quiseres, desde que tenhas um dispositivo com acesso à internet (móvel ou fixa).

Neste curso online não ensino a calcular o valor intrínseco das ações. Disponibilizo os valores intrínsecos (das empresas onde invisto e que estou a observar para investir) num ficheiro Excel que atualizo para mim e para partilhar com todos os subscritores do curso. Esse ficheiro encontra-se no 4º módulo do curso (vê a última imagem que apresentei anteriormente).

Eu sou aluno do Adam Khoo e uso todos os valores intrínsecos que a equipa dele calcula trimestralmente para as empresas onde estamos a investir. No início ainda comecei a calcular os valores intrínsecos, mas rapidamente percebi que os valores que eu obtinha não tinham nada a ver com os valores que ele obtinha.

Mais tarde percebi que ele tem acesso a dados e informações às quais eu não tenho acesso. A título de exemplo, ele tem uma subscrição anual de $20 000 na CapitalIQ e uma subscrição anual na Bloomberg que custa $7000… Sem essas subscrições eu nunca terei acesso a toda a informação de que ele dispõe, mas como sou aluno dele, não necessito disso para nada porque a equipa dele usa essas informações para calcular tudo para mim! 😊

Ao optar por não ensinar a calcular o valor intrínseco das ações, disponibilizando-o num Excel partilhado, garanto que toda a gente consegue investir (na Bolsa) em empresas com excelentes fundamentos quando os preços das ações estão a ser negociados “em saldo”.

Para perceberes um pouco melhor como funciona o meu curso online, sugiro que ouças os episódios 5764 do meu podcast “Conversas Despreocupadas” que divulguei recentemente.

Se pretenderes mais informações sobre o curso online, podes ver igualmente as respostas às perguntas frequentes no fundo da página de compra do curso.

A subscrição anual do curso online também inclui o convite para integrares a comunidade privada e exclusiva no Telegram onde eu e os restantes membros do curso trocamos ideias regularmente.

Grande abraço e espero ver-te em breve no grupo exclusivo no Telegram.

EMAIL 3

Bom dia Pedro,

Espero que esteja tudo bem contigo!

Nos últimos dias, tenho acompanhado bastante o teu trabalho e gostaria de te colocar algumas questões.

Felizmente, também tenho a “oportunidade” de conseguir viver com menos do que o que recebo, pelo que tenho registado um nível de poupança elevado (quando comparado com a média).

Há cerca de um ano e meio, decidi fazer um dos maiores investimentos que se pode fazer na vida – e estive 6 meses a viajar por todo o Mundo (100% financiado pelas minhas poupanças).

Neste momento, gostava de começar a fazer algumas “brincadeiras” na área do trading e identifiquei-me bastante com o teu perfil – não tenho coração para estar a fazer day trading e sou adepto da automatização dos processos.

Dada esta pequena introdução, seguem as minhas questões às quais gostaria que respondesses:

As perguntas (a preto) e as MINHAS RESPOSTAS (A azul)

Olá […],

Atenção porque não faço trading. Apenas invisto a longo prazo. Já fiz trading no passado e perdi muito dinheiro (tal como mostro e explico no 1º módulo do curso).

  • Sobre o momento para iniciar
    1. Dadas as tuas explicações, todo o momento é bom para começar desde que se comece a construir o portefólio com ações que se encontrem com um valor menor ao seu valor intrínseco, correto? Pode não ser o momento para começar com a empresa X ou Y mas certamente que haverá oportunidades.[Pedro Silva-Santos] É isso mesmo… estás totalmente correto!
  • Volume da Carteira
    1. Pelo que constatei (corrige-me se estiver enganado) só compras ações “inteiras” certo? [Pedro Silva-Santos] Correto. Assim sendo, para ter posição nos big sharks terei, obrigatoriamente, de conseguir ter uma disponibilidade financeira maior. Ainda assim, para começar, qual achas que é o valor mínimo razoável? [Pedro Silva-Santos] Depende da tua disponibilidade financeira, dos teus objetivos a longo prazo e se tens, ou não, determinadas empresas como um objetivo de compra. Por exemplo, eu tenho 3 ações da Amazon porque a minha disponibilidade financeira me permite investir nessa empresa e reforçar caso esteja muito abaixo do valor intrínseco. Quem tiver menor disponibilidade de capital, talvez não seja interessante ter a Amazon na sua lista de prioridades. Percebes a ideia? Eu tenho 20 empresas atualmente e tento manter uma alocação de cerca de 5% em cada uma delas, mas tenho cerca de 87 000€ investidos. Quem tiver uma conta mais pequena será mais interessante focar-se em ter uma carteira de 5 a 7 empresas e só ir alargando os investimentos nas empresas e áreas de negócio à medida que tem dinheiro disponível para o fazer. Caso contrário, estará a sobrediversificar demasiado com pouco dinheiro… e para isso acredito que seria mais interessante ter posições em 1 ou 2 ETFs (e.g. o ETF que inclui as 300 empresas de maior capitalização na China, o ETF de cloud computing, etc…) e ir reforçando sempre que os preços retraem a determinados níveis de suporte.
    2. Estou a pensar usar a DEGIRO. Sinceramente, ainda não explorei a 100% todos os custos – tens algum vídeo que resuma os mesmos? [Pedro Silva-Santos] Uso a DEGIRO e tenho uma conta Custody para as ações de crescimento e uma conta Basic para empresas onde invisto para receber dividendos trimestralmente. Tenho uma aula no curso online onde falo sobre isso. Não recomendo nenhuma corretora especificamente porque todas têm vantagens e desvantagens. Basicamente a minha questão passa por perceber se é “estúpido” fazer reforços mensais à conta. [Pedro Silva-Santos] Na minha opinião, não é estúpido fazeres isso. Podes reforçar a conta (com uma transferência bancária automática no mesmo dia de cada mês. Depois, disciplina-te a comprar ações apenas quando os preços estiverem abaixo do valor intrínseco e atingirem níveis que tenham servido de suporte anteriormente. Tenho várias aulas no curso onde refiro isso e mostro como faço para encontrar os níveis de suporte que tenho no Excel partilhado com todos os membros do curso.
  • Estrutura de Capital
    1. Gostaria de perceber se tens alguma dica para estruturar o meu capital de poupança e investimento. Isto é, usando o valor 1 como base, como devo dividir: [Pedro Silva-Santos] Não sou consultor financeiro nem estou autorizado pela CMVM para dar conselhos sobre investimentos, apenas posso partilhar aquilo que faço para mim… pode ou não adequar-se a ti e por isso faz as tuas próprias análises, toma decisões por vontade própria e, obviamente, assume a responsabilidade pelos resultados que obtiveres!
      • % Fundo de Sobrevivência (no Banco ou algo do género) [Pedro Silva-Santos] Atualmente tenho 7 fontes de rendimento complementares e por isso, se necessitar de dinheiro, é a uma dessas fontes que vou buscar.
      • % Investimento em ETFs [Pedro Silva-Santos] Tenho 2,4% atualmente num ETF que inclui as 300 empresas de maior capitalização na China. Pretendo ir reforçando sempre que os preços retraírem a níveis de suporte, mas não pretendo ter mais do que 5% investidos nesse ou noutros ETFs. Isto depende do perfil de risco e dos nossos objetivos enquanto investidores. O que faz sentido para mim, pode não fazer qualquer sentido para outras pessoas com perfil e objetivos diferentes.
      • % Investimento em Ações [Pedro Silva-Santos] Tenho atualmente 86% do dinheiro investido em ações e apenas 14% disponível. Gosto de manter 10 a 30% de dinheiro livre na corretora para ir reforçando sempre que existem excelentes oportunidades, mas nas últimas semanas houve tantas oportunidades que acabei por ficar próximo do limite inferior de dinheiro que gosto de manter livre. Quando isto acontece, e sempre que posso, reforço a conta na corretora com mais algumas poupanças.
  • O teu Curso
    1. Em princípio vou subscrever o teu curso, gostava de perceber 1) se ensinas a monitorizar a carteira e automatizar a mesma – dentro da DEGIRO aprender a fazer as compras e vendas automáticas; [Pedro Silva-Santos] A DEGIRO não é uma plataforma espetacular que nos permita perceber graficamente a evolução da nossa carteira. Curiosamente, hoje de manhã houve um elemento do curso online que partilhou, no grupo exclusivo do Telegram, como colocou os dados da sua carteira no site da Morningstar e através de uma integração com outra plataforma (Portfolio Performance) consegue monitorizar graficamente os seus resultados e compará-los com o índice S&P500, etc… já lhe pedi para gravar o ecrã do PC a explicar como faz isso e prometi-lhe que iria usar o vídeo dele (com os devidos créditos) para uma nova aula do curso online onde mostrarei como fazer essa integração e monitorização da evolução da carteira.
    2. O valor apresentado é o custo da subscrição anual certo? No fundo, é o valor a que chegaste para a partilha do Excel (muito valioso) que construíste. Se quiser continuar a ter acesso ao mesmo, ano após ano, deverei fazer a renovação da subscrição anualmente, correto? [Pedro Silva-Santos] Correto.

Certamente que, entretanto, enquanto leio e estudo sobre o tema, me irão surgir novas questões mas, para já, são estas.

Agradeço, desde já, a tua disponibilidade e atenção.

Cumprimentos

EMAIL 4

Viva Pedro,

Comecei o teu curso “Investir na Bolsa” recentemente e entretanto surgiram-me algumas dúvidas que gostaria de ter o teu input, se fosse possível.

Gosto da tua abordagem e da tua atitude perante a Bolsa e foi isso que me cativou.

A minha estratégia para já, será em grande parte semelhante à tua, e terei o teu portefólio como referência mas paralelamente quero estar atento a mais algumas empresas e a “negócios” mais pontuais.

As dúvidas que me surgiram para já são as seguintes:

As perguntas (a preto) e as MINHAS RESPOSTAS (A azul)

– Como ainda não tenho praticamente nenhuma posição nas empresas que estão no teu portefólio, que preço devo ter como referência para uma primeira compra? Basta por exemplo que a empresa esteja em saldos e entrar ao preço atual ou devo esperar pelo primeiro patamar? [Pedro Silva-Santos] Pessoalmente, uso sempre os mesmos princípios para abrir posição numa empresa: o preço tem que estar abaixo (ou muito abaixo) do valor intrínseco e a tocar num dos níveis/patamares onde estão as médias móveis que serviram anteriormente de suporte. Se já abri posição numa empresa, normalmente fico ainda mais forreta e reforço apenas se os preços descerem aos níveis 2, 3 ou 4! 😊

– Nas informações que obtens do Adam Khoo acerca dos valores intrínsecos das empresas, devem constar outras empresas para além daquelas que tens no teu portefólio, certo? Achas que existe a possibilidade de nos mostrares os valores intrínsecos de outras empresas (caso os consigas obter). Eu por exemplo tenho mais algumas empresas para as quais gostaria de ter esse tipo de informação, como por exemplo a […] (entre outras). [Pedro Silva-Santos] Se essas empresas tiverem sido avaliadas pela equipa do Adam, poderei colocá-las na lista de empresas em observação. Tudo o que não passe no crivo da equipa dele, eu não toco nem sequer me chega a despertar a atenção! A […] não foi, até agora, avaliada pela equipa do Adam e por isso não se encontra no meu radar!

– No caso de empresas que pagam dividendos, e no caso da Degiro, quando os dividendos são pagos eles são creditados na conta da Degiro? [Pedro Silva-Santos] Sim, as empresas que tenho no Excel distribuem os dividendos para a conta da corretora. Contudo, há um ETF que adicionei recentemente à lista Excel e que paga os dividendos de forma “acumulativa”, acumulam no valor da ação.

– Podes partilhar qual a tua fonte de dados para os valores atuais das acções que tens no Excel partilhado? Pergunto porque estou a construir um ficheiro Excel parecido para gerir o meu portefólio e gostava de ter lá esse tipo esse informação. [Pedro Silva-Santos] Criei o ficheiro Excel no Google Sheets porque é a única forma que tenho de o conseguir incorporar no meu site e esse ficheiro ficar com o acesso disponível apenas para quem tem a subscrição do meu curso online “Investir na Bolsa”. No Google Sheets, deverás colocar a fórmula a ir buscar a célula onde tens o símbolo da empresa (Ticker symbol) e dessa forma vai mostrar-te o valor atual da ação dessa empresa. Imaginando que tens o código da empresa na célula B4 do Google Sheets, a fórmula será esta: =GoogleFinance(B4;”Price”). Mas atenção porque esse valor só é atualizado de X em X minutos, ou quando fazer “atualizar/refresh“, não tem atualização instantânea.

Obrigado.

Abraço.

EMAIL 5

Boa tarde, Caro Pedro Santos,

Sou ‘consumidora assídua’ dos seus vídeos já que estes me ajudam bastante a perceber o quão ‘verde’ ainda estou na gestão da minha carteira de ações. Identifico-me principalmente com os erros que cometeu… que eu estou agora a cometer (mesmo sabendo que não devia… às vezes a emoção fala mais alto).

Este email vai no sentido de lhe propor um desafio: fazer um vídeo sobre quando vendo as ações?

Quando compra está bem explicado nos seus vídeos… mas e quando vende? Principalmente quando as ações estão a subir? Quando já atingimos uma rentabilidade de 30% ou mais, chegou a hora de vender? Ou manter?

Fico em pânico quando vejo as minhas ações a subir… acho sempre que a seguir vem uma queda descomunal e me vou arrepender de não ter aproveitado para vender!

Obrigada mais uma vez pelos ensinamentos.

Sónia Santos

A MINHA RESPOSTA

Olá Sónia,

Muito obrigado pelo apoio e pelo feedback… 😊

Também demorei algum tempo a definir a estratégia sobre “quando vender”. Estou confortável com todas as empresas (20) que tenho no meu portefólio e por isso assumo-as como as esposas que trouxe para o meu Harém 😊, quero amá-las durante muitos anos! Eh eh… 😊

Contudo, há situações em que chego a apresentar os papéis do divórcio a algumas das minhas “esposas”… A minha estratégia atual (de venda) é a seguinte:

1 Vendo as empresas cíclicas (e.g. 3M, Bank of America, Ping An, etc…) sempre que estas atingem o topo do ciclo. Tenho esses topos bem identificados num Excel que elaboro para mim e que está partilhado com todos os membros do meu curso online “Investir na Bolsa”. Uso o dinheiro dessa venda para investir em oportunidades que estejam em saldo (muito abaixo do valor intrínseco). Recentemente vendi quase toda a minha posição no Bank of America e vendi toda a minha posição na Ping An… uns dias depois, começaram a descer do topo do ciclo! Não fui eu que as fiz descer… 😊 simplesmente são cíclicas, atingiram o topo do ciclo e corrigem fortemente logo de seguida, antes de voltarem a recuperar até ao topo do ciclo para depois descerem outra vez, blá, blá, blá… 😊;

2 – Vendo algumas ações sempre que tenho posições que já rondam os 8 a 10% do total do meu portefólio e os preços estejam mais de 20% acima do valor intrínseco. Como tenho 20 empresas no meu portefólio, quero ter cerca de 5% investidos em cada uma delas, por uma questão de diversificação. Se estou com uma posição que representa 6 ou 7% do meu portefólio não me incomoda, mas se essa posição atinge os 10% e as ações dessa empresa estiverem mais de 20% acima do seu valor intrínseco, desfaço-me de algumas das ações para baixar a minha exposição… mas tem que se verificar uma e outra condição… Atualmente tenho quase 8% do meu portefólio investido na empresa Facebook Inc. mas como as ações estão com um preço mais de 20% abaixo do valor intrínseco, não vendo porque em breve espero que as ações eventualmente disparem pelo menos até ao valor intrínseco;

3 – Vendo todas as ações se os fundamentos da empresa se alterarem (fiz isso recentemente com a Illumina).

No caso dos REITs, assumo-os como as minhas propriedades (e.g. hotéis, centros comerciais, empresas de logística, etc…) e por isso vou reforçando as minhas posições quando os preços estão abaixo do valor intrínseco e retraem a uma média móvel que tenha servido anteriormente de suporte. Depois guardo para o resto da vida de forma a ficar a receber os elevados dividendos desses REITs. Contudo, se os fundamentos dessas empresas se alterarem, vendo toda a minha posição. Fiz isso recentemente com o EC World REIT porque um dos membros do conselho executivo está a ser alvo de investigações judiciais há vários meses. As investigações aparentemente não estão relacionadas com a empresa, mas eu não senti segurança em manter a minha posição e vendi todas as ações desse REIT.

Como podes perceber, não me interessa se estou a lucrar 40% ou 100% numa determinada empresa. Se essa empresa estiver com as ações a serem negociadas muito abaixo do seu valor intrínseco, não vendo.

Percebes a ideia?

Não interessa vender quando estou a ganhar 100% se essa empresa ainda estiver 30% ou 40% abaixo do valor intrínseco!

Para mim o grande foco são os fundamentos (o valor intrínseco)! Se não se alteram e os preços das ações estão muito abaixo do valor intrínseco, os elevados lucros deixam-me orgulhoso, não me começam a fazer cócegas e a criar vontade de vender com medo de perder os lucros não realizados! 😊

Espero ter sido útil para te ajudar a definir a tua própria estratégia de venda, sem grandes ataques de ansiedade.

Bjs

P.S. – Aproveitei e gravei um vídeo sobre esta questão. Vê aqui ou clica na imagem seguinte…

Reproduzir vídeo

EMAIL 6

Bom dia Pedro.

Já há muito tempo que vou comprando e vendendo ações. No entanto não tenho, pelo menos até agora, uma disciplina, por causa do meu trabalho.

Já ganhei e já perdi algum dinheiro.

O meu perfil não é para tentar tudo num dia na esperança de enriquecer no momento, até porque não consigo estar à frente do computador durante o dia.

Assim, depois de ver muita informação na net, vi alguns vídeos teus e identifiquei-me com a tua forma de estar perante os mercados.

O que pretendo para o futuro?

Basicamente ter dinheiro para aproveitar com a família após o trabalho e para ir investindo de forma a manter a nossa segurança financeira. 

Com algum estudo e com as tuas partilhas certamente terei um futuro muito mais descansado a nível financeiro. Quando à felicidade, a minha família tem tratado disso…

Obrigado por compartilhares o teu trabalho.

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Que maravilha ler este teu email… estamos em sintonia! Essa também é a minha filosofia de vida.

Perdi tanto tempo e tanto dinheiro a fazer coisas inúteis e com o foco nas estratégias erradas… e isso apenas me trazia ansiedade e estava a “derreter” as minhas poupanças.

Seis meses depois de alterar a forma como invisto em empresas na Bolsa, tinha recuperado tudo o que perdi e por isso não volto a cair nos mesmos erros do passado que me levavam a perseguir “a empresa da moda”, o “objeto mais brilhante”!

Temos coisas muito mais interessantes para fazer e para viver nesta vida e por isso devemos deixar o dinheiro a multiplicar-se sozinho. 😊

Bom estudo e bons investimentos.

EMAIL 7

Pedro,

Antes de mais, muito obrigado pela pronta resposta e pelos esclarecimentos.

Entretanto, estou a pensar investir algumas poupanças entre abril e maio.

Com que antecedência deveria fazer a subscrição do teu curso, isto é, quantas horas tem o teu curso para que eu possa perceber o número de semanas que tenho de alocar a este projeto?

Por último, fiquei apenas com uma questão por esclarecer que passa por perceber, em média, quantas empresas estão no teu Excel partilhado? Isto porque, com o capital que começarei, terei de ser disciplinado e tentar alocar cerca de 15% a 6/7 empresas – como tal, terei de ter a possibilidade de ter, em carteira, ações com valores que não sejam “astronómicos” – pelo menos para já.

Espero não ter sido confuso.

Mais uma vez, muito obrigado.

Até já!

A MINHA RESPOSTA

Olá […], boa tarde.

Não faço ideia quantas horas é que as aulas do curso já somam atualmente! 😊

Conseguirás assistir a todos os vídeos num fim de semana, mas convém que leves mais tempo a consumir o conteúdo. Considero que é importante ouvires as minhas partilhas e refletires sobre isso. Só assim é que vais começar a criar a disciplina que necessitas para te desligares das notícias e de todas as hot stocks onde toda a gente diz que está a fazer fortuna atualmente!

Se começares a ver as aulas cerca de 1 ou 2 semanas antes de iniciares os primeiros investimentos, creio que estará perfeito! Além disso, as conversas entre todos os membros no Telegram também te vão ser muito úteis.

Atualmente invisto em 20 empresas e tenho mais 21 ou 22 numa lista em observação. Não pretendo investir em todas essas empresas mas gosto de manter a lista suficientemente diversificada para que os membros da minha comunidade tenham opções que se enquadrem mais aos seus gostos, ao seu perfil e ao seu bolso! 😊

Começa com calma porque haverá sempre excelentes oportunidades no futuro.

Grande abraço e até breve,

EMAIL 8

Ola Pedro,

Sinto que já te conheço um pouco, pelo que vou tomar a liberdade de te tratar por “tu”.

Julgo que encontrei os teus primeiros conteúdos do LinkedIn há alguns meses e desde então que te sigo também no podcast “Conversas Despreocupadas” e nos vídeos que partilhas no Youtube.

Subescrevi o teu curso “Investir na Bolsa” por duas razões:

  • Como retribuição – por toda a partilha que fazes e que fui consumindo nos últimos tempos. O impacto na minha vida, nomeadamente nas áreas financeira e profissional, é já significativo pelo que resolvi contribuir.
  • Para ter acesso acesso a valores intrínsecos calculados pela equipa do Adam Khoo – Depois de ver vários vídeos teus e ouvir vários episódios do podcast, acho que tenho bem entendida a estratégia de “value investing”. Estou a adaptar o meu portfolio (até aqui baseado apenas em ETFs) e sinto necessidade de aceder a valores intrínsecos calculados “por quem sabe”.

Aproveito para questionar: entendi num dos episódios do teu podcast que partilhavas com os alunos do curso TODOS os cálculos do Adam Khoo, mas o teu excel só tens o teu portefolio e algumas empresas em observação.  Já disponibilizas ou vais disponibilizar as restantes?

Por fim, quero partilhar que me identifico bastante com a tua “forma de estar na vida” e já te vejo como meu mentor 🙂

Estou muito interessado em aprender mais e disponível para colaborar no que me for possível. Partilho o meu perfil linkedin e se encontrares algum ponto em que te possa ajudar, dispõe.

Um abraço e até já,

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Muito obrigado pelo feedback. Fico muito feliz por saber da tua atitude de retribuição e fico ainda mais feliz por saber que os conteúdos que partilho têm impactado a tua vida a vários níveis.

Relativamente às tuas questões, aqui ficam as minhas respostas:

  • Neste curso online não ensino a calcular o valor intrínseco das ações. Disponibilizo os valores intrínsecos (das empresas onde invisto e que estou a observar para investir) num ficheiro Excel que atualizo para mim e para partilhar com todos os subscritores do curso.
  • Tal como vais poder ver num dos vídeos do curso, a lista de empresas que tenho no Excel partilhado é a nata da nata… a lista Excel é o equivalente à ementa de um restaurante de luxo. Escolhes as empresas e as áreas de negócio onde pretendes investir tendo a noção de que só estás a investir em empresas com excelentes fundamentos… mas, tal como no restaurante de luxo, não consegues comer tudo o que está na ementa. Cuidado com a sobrediversificação, especialmente se não tiveres uma conta com vários milhões como tem o Adam Khoo. Em função do dinheiro que tens disponível para começar a investir, diversifica os teus investimentos por 10 ou 20 empresas. Neste momento tenho 20 empresas no meu portefólio e não pretendo ter mais do que essas 20. Para entrar uma empresa nova, terei que deixar sair uma das que já lá tenho. E essa troca só faz sentido se, por exemplo, estiver a libertar uma empresa cíclica no topo de ciclo, para alocar esse dinheiro a uma nova empresa que esteja atualmente 25 a 40% abaixo do valor intrínseco. E eu tenho 20 empresas no portefólio porque já tenho cerca de 87 000€ em carteira. Se tivesse 10 000€ ou 15 000€ investidos, apenas estaria a investir em 7 a 10 empresas. Percebes a ideia?

Não sejas demasiado guloso porque acredito que, tal como eu, não tens bolsos suficiente fundos para tudo o que está no Excel partilhado.

Além disso, se sobrediversificamos demasiado mais vale investirmos em 2 ou 3 ETFs e ir reforçando quando os preços das ações retraem a um nível de suporte e pronto…

Espero que este email te tenha ajudado a clarificar algumas ideias.

Grande abraço.

EMAIL 9

Olá Pedro!

Desde já quero agradecer por partilhares os teus conhecimentos e disponibilizares um curso onde tornas simples aquilo que tanta gente complica.

Já há algum tempo que tenho o objetivo de aprender mais sobre este tema, desde o forex, investir na bolsa, trading etc … já tinha visto muitos vídeos “educacionais” no YouTube, que fizeram com que riscasse os primeiros da minha lista. 

Logo desde essa altura percebi que isso não se enquadrava no tipo de investidor que eu pretendia ser. 

Continuei assiduamente a ver vídeos no YouTube com o intuito de aprender mais. Por várias vezes estive perto de comprar os cursos fornecidos por muitos dos autores desses vídeos, mas por alguma razão quando chegava à hora de avançar, recuava sempre. 

Vídeos para ali, vídeos para aqui, apareceu-me um vídeo teu. Sinceramente no início pensei:

Não acredito que seja este gajo, com este cabelo comprido, que me vai ensinar alguma coisa (brincadeira)😂😂😂.

Assim que comecei, devorei os teus vídeos todos em dois dias, mais houvesse para ver… Percebi que era isto que queria para mim, investir na bolsa sim, mas de uma forma despreocupada, sem ir atrás da estrela dourada e sem fazer especulação.

Fiquei com isto gravado na minha cabeça:

  • comprar abaixo do valor intrínseco (em “saldos”),
  • comprar nos níveis que tens no Excel partilhado e que estão de acordo com as médias móveis que serviram anteriormente de suporte,
  • ir investindo e reforçando as posições apenas em empresas com bons fundamentos….

No início, quando olhei para o teu portefólio, fiquei na dúvida se entrava ou não, porque apesar de ser muito bom, para quem de início não quer investir muito, os preços das ações das empresas onde investes têm valores muito altos… mesmo olhando para as mais “baratas”, muitas tem de ser compradas em lotes de 100, 200 ou 500, o que torna o investimento alto. 

Mas após pensar bem sobre isto e ler algures no teu site, decidi todos os meses fazer uma transferência periódica de um valor com o qual estou confortável e não me faz falta, e aos poucos vou construindo o meu portefólio, sem pressas.

Afinal isto é investimento a longo prazo, há que construir um bom harém com mulheres maduras… e essas vamos adquirindo, uma a uma, aos poucos 😂😂 

Um grande abraço e bons investimentos. 

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Muito obrigado por este excelente momento de partilha.

Fico muito orgulhoso por teres escolhido “o cabeludo” mesmo depois de teres visto tantos vídeos de outras pessoas na internet! 😊

Já percebi que estás a alinhado com objetivos de médio/longo prazo e isso é fundamental… só isso é que nos traz paz no dia-a-dia.

E, por incrível e contraintuitivo que possa parecer, é a estratégia que tem potencial para nos gerar melhores resultados!

Grande abraço, bom estudo e bons investimentos.

EMAIL 10

Bom dia Pedro, 

Eu cheguei ao teu canal através da entrevista que deste ao Filipe do canal “Investir com cabeça”, um canal que eu já seguia e que gostava muito da abordagem seguida por ele. Apesar de ser diferente da tua!

Eu, tal como tu, também há uns anos (tenho atualmente 38) perdi algum dinheiro na bolsa (portuguesa). Recentemente dediquei-me novamente aos investimentos, agora tenho outra maturidade e conhecimento que não tinha naquela altura. Mas ainda assim, gostei da forma como passaste a mensagem e do estilo “seguro” dos investimentos que passaste a fazer desde junho de 2020.

Ter acesso à lista de informação que compilas no ficheiro Excel partilhado é também uma grande mais valia, na minha opinião, pois facilita a vida a quem tem que analisar as empresas.

Eu sou da área financeira e não tenho dificuldade em interpretar os números das empresas. Mas isso toma-nos demasiado tempo. 

Pertencer a um grupo de investidores com o espírito e o know how do teu, faz-nos crescer mais. 

Continuação de bom trabalho e espero continuar a crescer com o teu grupo.

Forte abraço.

A MINHA RESPOSTA

Olá Ricardo,

Muito obrigado pelo feedback.

Eu não conhecia o Filipe até ele me convidar para uma conversa no canal “Investir com Cabeça”… e adorei gravar o episódio com ele.

O nosso grupo exclusivo no Telegram já ultrapassou os 80 membros, o que é incrível! Já me desafiaram a gravar um vídeo com a peruca loira quando o grupo atingir os primeiros 100 membros!

Como gosto de me divertir e de divertir os outros, já aceitei o desafio e por isso prepara-te para a loucura que aí vem! 🙂

Bom estudo e vamos lá crescer em conjunto! 😊

Grande abraço e até breve.

EMAIL 11

Boa tarde Sr. Pedro Silva Santos,

Tem maneira de vender apenas o ficheiro de excel dos seus investimentos que disponibiliza no seu curso “investir na bolsa”?

Com os melhores cumprimentos,

[…]

A MINHA RESPOSTA

Olá […], boa tarde.

Os vídeos que integram os 3 módulos do curso online, o Excel partilhado e o grupo exclusivo e privado no Telegram é que permitem (em conjunto) que todos os membros desenvolvam a psicologia e a disciplina necessária para não irem atrás das “galdérias”, tal como partilhei neste vídeo que lancei recentemente nas redes sociais… 😊

Reproduzir vídeo

Sem perceberes as armadilhas em que eu caí e toda a alteração de estratégia que adotei a partir de junho de 2020, e que me permitiu recuperar mais de 21000€ de perdas em menos de 7 meses, não adianta de nada teres acesso ao meu Excel porque é possível que te desvies da estratégia à primeira “piscadela”!

Só quero que a minha comunidade (exclusiva e privada) seja integrada por pessoas que estejam alinhadas segundo os mesmos princípios e portanto, a resposta à tua pergunta é: NÃO.

O Excel partilhado é indissociável dos restantes módulos do curso online “Investir na Bolsa”!

Grande abraço e até breve.

EMAIL 12

Olá Pedro,

Não sou das pessoas que te envia mais emails seguramente mas não é por não mandar emails que não reconheço o enorme valor que o teu trabalho tem, muito pelo contrário!

Se eu não estou em erro, sigo as conversas despreocupadas desde o inicio do verão de 2019. Portanto quase desde o início. Comecei a ouvir durante o trabalho. No início de 2019 mudei de funções dentro da empresa onde trabalhava e como o meu trabalho passou a ser internacional, deixei de ter de interagir a toda a hora com os colegas do meu escritório e como cada vez tinha menos paciência para ouvir pessoas que não acrescentavam nada de útil, optava por colocar os meus phones e lá passava quase o dia todo a trabalhar e a ouvir podcasts (“Conversas Despreocupadas” era um deles).

Desde então:

  • Despedi-me da empresa onde estava (com o intuito de mudar de entidade patronal… mas sem muita vontade)
  • Apareceu o COVID, confinámos e as oportunidades de trabalham reduziram-se drasticamente
  • Aventurei-me no empreendedorismo digital… fui aprender…
  • Já tenho uma atividade como empreendedora digital muito no início, a dar os primeiros passos… portanto com muitos erros e muitas tentativas, sem sequer saber se é o caminho certo ou não
  • Estou a colaborar na implementação em […] e […] de uma empresa para distribuição de […] (função que desempenho em part-time – condição obrigatória  porque quero continuar a desenvolver um negócio ligado ao empreendedorismo digital)
  • Comecei a investir

Digo isto tudo porquê?

Porque as conversas despreocupadas, os livros Ave Rara I e Ave Rara II deram-me uma motivação extra e fundamental para sair do meu registo de ter apenas uma única fonte de rendimento, apenas ter uma única ocupação (trabalhar para uma entidade patronal 16 horas por dia, 365 dias por semana).

Quero aqui deixar o meu testemunho em relação ao livro Ave Rara II:

Quem ouve as Conversas Despreocupadas regularmente e já ouviste todos os episódios, não pode dizer-se que o livro tenha sido uma total surpresa porque grande parte do conteúdo já foi de uma forma ou de outra partilhado por ti no podcast Conversas Despreocupadas. Mas independentemente disso, o livro é fantástico e uma inspiração para quem, como eu, passou mais de 20 anos a fazer uma única coisa e a desperdiçar muitas oportunidades por andar com umas palas nos olhos (é isto que dá trabalhar por conta de outrem mais de 12 horas por dia, todos os dias, todos os anos)… Se eu soubesse o que sei hoje ☹…

O teu livro é um verdadeiro “abre olhos” para nos apercebermos que estamos na roda do hamster uma vida inteira. A maioria das coisas que tu abordas no livro eu concordo e inconscientemente sabia que era assim, mas às vezes é preciso ouvir e ler de outra pessoa para abrirmos os olhos.

Parabéns pelo livro!!

Mais uma vez agradeço-te por todas as partilhas que fazes no podcast, nos livros, nos emails, no curso sobre investimentos na Bolsa (sim, também estou inscrita 😉).

Obrigada por tudo!

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Não é vergonha nenhuma… é sinal que tens andado focada no crescimento dos teus projetos.

Fiquei muito feliz por ler este teu email. Sinto-me muito realizado quando percebo que aquilo que partilho nos livros, nos vídeos, no podcast, nas “Cartas ao leitor” e nos meus cursos online tem um impacto muito positivo na vida das pessoas que se identificam com o meu trabalho.

De facto, ter mais do que uma forma de rendimento dá-nos um relaxamento muito grande. Permite-nos experimentar fazer as coisas ao nosso ritmo, falhar, afinar e voltar a tentar… dá-nos o tempo que necessitamos para ouvir o feedback das pessoas e ir melhorando os projetos aos poucos, sem a pressão típica de “ai, tenho que tentar vender isto hoje porque necessito de dinheiro para pagar a renda e comprar comida!”.

Criarmos as nossas fontes de rendimento complementares deverá manter-se sempre como uma prioridade na nossa vida. Pessoalmente, gosto de sentir que sou responsável pelos resultados que obtenho, não gosto de sentir que o meu “destino” e os meus rendimentos estão nas mãos de outra pessoa.

É uma forma de pensar, um estilo e uma filosofia de vida que vamos afinando ao longo dos anos, mas depois de lhe tomarmos o gosto não há como voltar atrás. E para além disso, apesar de não ficarmos à prova de bala, as fontes de rendimento complementares tornam-nos muito mais resilientes às grandes crises que o mundo possa atravessar.

Tal como refiro no livro “A Ave Rara II…”, todas as alterações que decidi fazer na minha vida, e que implementei nos meus negócios nos últimos anos, revelaram-se os fatores-chave do meu crescimento no período em que o mundo ficou virado de pernas para o ar… apesar de o mundo estar ao contrário, como eu já fazia tudo de pernas para o ar, quando o mundo “rodou”, acabei por ficar de pé… eh eh eh… 😊 eu sei que este exemplo pode ser ridículo, mas gosto de escrever exatamente o que estou a pensar… e foi isso que me ocorreu escrever neste exato momento. 😉

Força nisso porque o que aí vem nos próximos anos vai ser fenomenal… 😉

Bjs e até breve.

login

Faça login para aceder à sua conta.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador.

Quer aprender como é que eu faço?

Preencha os dados seguintes para pertencer ao meu grupo exclusivo