fbpx
carta aos leitores - junho 2022

O futuro (conforme o imaginamos) leva tempo a revelar-se… (carta de junho de 2022)

No mês passado recebi (e respondi) a mais umas dezenas de e-mails e testemunhos… gostaria de destacar estes 6 por serem os que mais me despertaram a atenção!

Espero que gostes…

EMAIL 1

Olá Pedro,

Eu não sei se me vais responder e até me sinto um bocado tola por te escrever este e-mail.

Eu sou nova nestas andanças, mas já sigo o teu conteúdo há algum tempo e quero muito pôr o meu dinheiro a trabalhar.

Só que ainda sou uma “cachorra”, como se costuma dizer, e há uma coisa que eu ainda não consegui perceber.

Esta é a minha dúvida:

Quando eu tenciono investir numa empresa é porque espero receber alguma coisa em troca, no caso, dinheiro.

Como é que eu sei quanto vou receber e quando vou receber algum tipo de dinheiro? É de ano em ano? Eu sei que provavelmente vai depender, mas não sei onde encontrar essas informações.

Não sei se me fiz entender e não sei se me consegues ajudar.

Aproveito para agradecer o conteúdo que partilhas e que tem sido bastante importante para mim.

Foste o meu pai rico kkkk.

Continuação de um excelente trabalho,

Muito sucesso.

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Muito obrigado pelo feedback e pelo apoio.

Eu invisto as minhas poupanças a longo prazo, em empresas (cotadas na Bolsa) líderes de mercado e que têm faturação e lucros crescentes nos últimos 4 a 5 anos. Como essas empresas estão a crescer e a entrar em novos mercados, a expectativa é que a médio/longo prazo os preços das ações dessas empresas fiquem mais caros do que o valor que eu paguei quando as comprei.

Quando comecei a investir na Bolsa, não percebia que ao comprar ações de uma empresa passava a ser acionista dessa empresa… e por não perceber isso, comprei ações de empresas que não geravam dinheiro e por isso, os preços das suas ações acabaram por desvalorizar muito… ficando muito abaixo do preço que eu tinha pago por elas.

Antes de decidires começar a investir o teu dinheiro, sugiro que vejas estes vídeos com atenção para perceberes qual é o meu perfil de investidor e de risco:

https://silva-santos.com/replay-webinario/ (disponível para visualização apenas durante mais 5 dias depois do webinário terminar)

https://silva-santos.com/porque-e-que-80-dos-investidores-perdem-dinheiro-na-bolsa/

Em relação às perguntas que colocaste no teu email, não é possível saberes quanto dinheiro vais receber porque os mercados acionistas são completamente imprevisíveis a curto prazo.

A única coisa que podes controlar são as empresas nas quais decides investir e o preço a que compras as suas ações (para teres maior margem de segurança). Se o fizeres corretamente, com uma boa diversificação e gestão de risco e com uma estratégia alinhada com o teu perfil de risco e de investidora, a longo prazo terás as tuas poupanças valorizadas…

Nesta fase, limita-te a consumir mais conteúdo para perceberes como é que os investimentos na Bolsa funcionam, ok?

Bjs e espero que gostes do conteúdo que partilhei nos dois links anteriores. 😉

Até breve.

PATROCINADOR DESTE MÊS

Este mês, as “Cartas ao leitor” são patrocinadas pela StreamYard, a plataforma de vídeo que utilizo para fazer diretos com os membros do meu curso online “Investir na Bolsa”, para fazer gravações de ecrã enquanto explico o que estou a fazer e para gravar os vídeos dos episódios do podcast “A Ave Rara…” (com ou sem convidados!).

A versão gratuita funciona às mil maravilhas, mas eu não gosto de ver o logótipo alheio no canto superior direito dos meus vídeos.

Além disso, optei por subscrever a versão paga porque me permite gravar os vídeos em qualidade HD, com 1080 de resolução.

Se decidires experimentar a versão gratuita para gravar os teus vídeos e partilhar nas redes sociais, podes aceder diretamente aqui: https://streamyard.com

Se pretendes gravar vídeos muito mais profissionais para usares como aulas para o teu futuro curso online, sugiro que faças como eu e subscrevas um dos planos da StreamYard. Clica neste link para subscreveres com o meu código de $10 de desconto.

Já sabes que só te recomendo as plataformas que adoro e que uso regulamente… e de todas as plataformas de vídeo que já experimentei esta é a única que me permite fazer tudo o que pretendo durante as gravações dos vídeos e por isso não me obriga a gastar tempo a fazer novas edições mais tarde.

A título de exemplo, aqui fica um vídeo que gravei com a plataforma StreamYard, de forma a perceberes como funciona e quais são as principais funcionalidades de que dispões em tempo real.

EMAIL 2

Boas Pedro,

Com o “menu em saldos”, tenho uma dúvida, que gostava de perceber a tua perspetiva.

Considerando, que de 2 em 2 meses consigo alocar uns 400€/500€, não sei se neste momento deverei comprar mais para baixar o preço médio das ações das empresas que tenho atualmente no portefólio ou abrir posição noutra empresa com o objetivo de melhorar a diversificação (em várias áreas de negócio) ou aproveitar para comprar ações de empresas com os melhores descontos atualmente.

Muito obrigado.

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Como sabes, não sou consultor financeiro e por isso, o que partilhar contigo é apenas o que eu faria nessas condições.

O portefólio que me mostraste está com preços médios bastante baixos, o que é muito bom.

Com a capacidade de reforço que tens, de 2 em 2 meses, eu pensaria em adicionar mais uma ou duas beldades ao Harém, em setores de atividade complementares aos que tens atualmente.

Depois disso, limitava-me a ir colocando dinheiro no espaço livre da corretora e reforçando apenas nas beldades que já estão no Harém.

Atualmente tenho 19 beldades no Harém (porque tenho um portefólio maior!) e não pretendo adicionar mais nenhuma, pretendo apenas reforçar nas que já tenho.

Se libertar uma ou duas beldades, poderei começar a abrir posição numa nova beldade que esteja em saldo nessa altura… até lá, prefiro reforçar nas posições existentes do que juntar mais uma empresa ao portefólio.

Espero que esta partilha tenha sido útil.

Grande abraço,

EMAIL 3

Sempre que vejo um post teu normalmente falas sobre ações (ou americanas ou chinesas)… pq não ter uma parte do teu portfólio alocado em empresas europeias que não dependem do dólar, sendo assim uma moeda mais forte mais estável, dando assim mais estabilidade e mais segurança ao teu portefólio.

A MINHA RESPOSTA

Olá,

falei nisso neste vídeo, há cerca de um ano… gosto de investir em dólares e nos últimos 12 meses ganhei muito com a valorização do dólar face ao euro.

Não investiria em empresas europeias apenas para poder investir em euros… só invisto em empresas que sejam líderes de mercado porque estou focado nas valorizações ao longo de 10 ou 20 anos… a moeda irá oscilar nesse período e se eu puder valorizar o meu dinheiro quando o dólar está fraco, tanto melhor.

Neste momento o dólar já começa a estar muito forte e por isso, quando compro ações, tenho o cuidado de comprar quando os preços das ações estão mais 30 ou 40% abaixo do valor intrínseco.

Porquê?

Com o dólar mais caro em relação ao euro, necessito de maior desconto face ao valor intrínseco para aumentar a minha margem de segurança e consequentemente reduzir o risco.

Percebes a ideia?

EMAIL 4

Pedro,

Mata-me a curiosidade: qual é tua fonte de rendimento que te gera mais dinheiro? As tuas empresas, ações de empresas cotadas na Bolsa ou os teus cursos/livros??

Porque na internet fala-se muito de ações de empresas cotadas na Bolsa, mas acredito que empreender dá mais dinheiro do que investir na Bolsa.

Como é contigo??

A MINHA RESPOSTA

As minhas empresas privadas é que geram a maior parte do dinheiro… os investimentos em empresas cotadas na Bolsa darão excelentes retornos para utilizar quando decidir reformar-me… nesta fase encaro os investimentos na Bolsa como uma forma de multiplicar (a longo prazo) o dinheiro que não necessito… é uma forma de ir construindo património (investindo em empresas) que mais tarde poderei utilizar para “viver de renda”.

A melhor forma de ganhar dinheiro é investindo nas nossas competências e na nossa rede de contactos.

A partir daí, o caminho que para mim faz mais sentido é: criar negócios, gerar dinheiro para investir em ativos e usar o restante para viver uma vida confortável e feliz! 🙏😋

EMAIL 5

Hello,

Não tens receio de as pessoas verem este teu Excel e depois não comprarem o curso?

É que és tão transparente que se as pessoas tiverem com atenção conseguem ir acompanhando os valores que tens aí… 

A MINHA RESPOSTA

Olá […]

Os valores intrínsecos e os potenciais níveis de suporte que tenho nessa tabela são atualizados mensalmente e por isso, quem pretende investir em empresas cotadas na Bolsa irá preferir ter acesso a essa informação sempre atualizada.

Além disso, o curso dá acesso a uma comunidade privada de investidores no Telegram e isso também é muito valioso para quem pretende tirar dúvidas ou partilhar estes assuntos com outras pessoas que estão na mesma linha de pensamento.

É possível investir em excelentes empresas só a partir do conteúdo gratuito que partilho?

É.

E fico muito feliz por saber que isso acontece… poderá haver pessoas que nunca subscrevam o meu curso online porque a informação gratuita que partilho é suficiente para elas, e não há problema nenhum.

O meu objetivo maior é “partilhar conhecimento e alegria”… 😋 o dinheiro que gero vem como consequência disso!

Grande abraço e obrigado pelo teu comentário. 🙏😉

EMAIL 6

Boas Pedro,

Antes de tudo quero mais uma vez felicitar-te e agradecer todas as partilhas que fazes diariamente, não pares pois estás a conseguir mudar a vida de muita gente 😉

Tenho consumido bastante dos teus conteúdos ultimamente. Tenho ouvido os podcasts todos e espero ansiosamente por mais, também já li os teus livros e adorei as partilhas que fazes em cada um deles.

Adoro aqueles podcasts em que entrevistas alguém que deu a volta à sua situação profissional e que alavancou os seus resultados fazendo agora muito mais com muito menos horas de esforço (eu também quero atingir esse patamar).

Depois de ler o livro “a Ave Rara II” fiquei com imensa vontade de te escrever e partilhar algumas “dúvidas existenciais” (coisas minhas), e que não sei se vais querer responder ou até ler mas aqui vai.

Os teus livros são brutais… eu gostei especialmente do segundo “a Ave Rara”, acho que tem conteúdo mais interessante, isto do meu ponto de vista.

Parei muitas vezes a meio do livro para refletir e fazer a “ponte” para a minha realidade. Fez-me muito bem ler o livro e quero relê-lo daqui a algum tempo. Há livros que temos de voltar a ler regularmente e esse é um deles.

A minha cabeça anda a mil, pois quero desesperadamente começar a reduzir horas de trabalho e não está a ser nada fácil. O primeiro entrave é o facto de eu ser sócia com as minhas […], o que tem os seus aspetos positivos mas também alguns que são bastante negativos.

Nós somos donas da empresa, mas eu costumo dizer que trabalhamos para o pior patrão do mundo, ou seja, nós próprias.

Pois, tu sabes como é… são 10 a 12 horas por dia e por muito bom dinheiro que ganhes, chega a uma altura em que estás farta disso (eu, pelo menos, estou farta).

O problema aqui é que só eu é que estou farta e só eu é que ando a pensar em as reduzir horas de trabalho… elas ainda têm a visão de que têm de ser elas a fazer tudo e que mais ninguém faz melhor do que elas. Somos sócias com partes iguais e como tal trabalhamos todas a par, logo eu não posso chegar aqui e dizer que agora vou começar a trabalhar menos horas e que pretendo contratar alguém para a empresa de forma a delegar parte do meu trabalho.

Ou se calhar até posso e estou aqui há tanto tempo a insistir nesta crença limitante…

Já pensei em mandá-las à m**** e agarrar-me a fazer alguma coisa que realmente me dê gosto e em que seja boa. Mas deparo-me com dois desafios:

1º – Ando a tentar perceber aquilo que me dá gosto fazer, aquilo que eu faria até de borla, mas não estou a chegar lá

2º – Também não sei no que realmente sou boa, pois como sócia da empresa faço um pouco de tudo, logo acabei por não me especializar em nada. Não encontro aquela coisa em que realmente sou boa.

Eu sou licenciada em […] e realmente era muito boa no curso nas disciplinas com números, tipo matemática financeira (aluna de 20), mas não sei se iria ter prazer a dedicar-me a isso a 100%.

Até aqui já dá para perceber que esta cabeça anda uma confusão

Outra coisa que descobri depois de ler o livro Essencialismo, foi que me ando a focar em mil e uma coisas e não progrido realmente em nenhuma, mas também ainda não descobri a qual me quero dedicar realmente.

Fico muito entusiasmada com qualquer tema/ideia nova, começo a investigar e depois de dedicar algum tempo perco rapidamente o interesse e começo a desligar, ou seja, muita falta de foco.

Acho que esta falta foco é mais cansaço do que outra coisa, pois antigamente eu não era assim.

Tenho falta de tempo livre isso eu sei… e começo a perceber que isso é que me tira o foco nas coisas e que me faz estar farta de tudo.

Adorava ter um negócio que fosse online, daqueles que não precisam de porta aberta (apenas precisam de um homem e um cão 😃, como refere o Tim Ferriss no livro “4 horas por semana”)! Tu tens vários desses negócios e sem dúvida que são um sonho depois de estarem a rolar sobre rodas.

Um dos temas que me agrada e que até andava a pensar desenvolver é algo relacionado com finanças pessoais, acho que gostava de aprofundar ainda mais este tema e um dia dar um curso sobre isso. Mas sinceramente não tenho a certeza se é isso que quero.

Tenho aqui um entrave forte… sou um pouco tímida, não percebo muito bem porquê, por exemplo não sou capaz de fazer lives como tu fazes e nem tão pouco acho que teria coragem para fazer um vídeo para divulgar um curso meu nas redes sociais. Eu sou daquelas que na universidade ia apresentar um trabalho porque era obrigatório e ia para lá a tremer, mas ao mesmo tempo tenho o sonho de ensinar e dar formação. Gostava de melhorar as minhas competências de comunicação, esse é se calhar um ponto a melhorar rapidamente.

Outra lacuna que tenho é o inglês. Nunca prestei muita atenção ao inglês na escola e agora tenho muitas dificuldades… já fiz alguns mini-cursos mas nada do outro mundo, dá para me desenrascar, mas o que me safa sempre é o Google Tradutor.

Tenho o sonho de escrever (um dia) um livro… e vou escrevê-lo, nem que seja daqui a uns anos… nessa altura vou comprar o teu curso online “Como publicar (e distribuir) um livro sem editora”.

Acho que já estou a ser chata demais, mas senti necessidade de partilhar estas coisas com alguém como tu com uma mente aberta e cheia de ideias.

Partilhar estas dúvidas com alguém que não é uma Ave Rara nem faz sentido nenhum… é chover no molhado! Não consegues que uma pessoa com mentalidade de simples tarefeiro compreenda estas dúvidas existenciais e que te dê uma opinião que realmente ajude.

Uma das coisas que aprendi há uns anos foi: se queres conselhos sobre como atingir algo vai pedi-los a quem já atingiu aquilo que tu pretendes.

Eu não estou à espera que alguém faça algo por mim, eu sei que tenho de ser eu a fazê-lo, mas tenho pena de não ter pessoas ao meu lado que estejam no mesmo “comprimento de onda” que eu… seria muito mais fácil.

Desculpa este desabafo, sei que não és psicólogo de ninguém, mas mesmo que não me respondas ou nem sequer leias o emil completo já me fez muito bem escrever isto tudo.

Beijinhos… e não deixes de ser uma Ave Rara.

A MINHA RESPOSTA

Olá […],

Muito obrigado pelo feedback… fico muito feliz por saber que tudo aquilo que partilho também faz sentido para a tua vida pessoal e profissional.

Antes de mais nada, já percebi que a escrita tem o mesmo efeito em ti e em mim… escrever sobre os meus erros e sobre os medos que vou tentando enfrentar tem-me ajudado a fazer as pazes com as idiotices do passado e tem-me possibilitado alcançar um estilo de vida muito mais calmo e livre… e muito mais produtivo, com menos de metade do esforço.

Escrever o livro “a Ave Rara II…” ajudou a libertar muitas coisas que tinha dentro de mim e que não me deixavam avançar.

Percebi que o facto de me teres escrito este email bíblico 😊 também te ajudou a refletir sobre o que consideras que estás a fazer de forma errada, o que queres mudar e os objetivos que pretendes alcançar.

Assim, para começar, sugiro que te obrigues a escrever diariamente uma lista de coisas que estás a fazer mal e que pretendes alterar na tua vida pessoal e profissional.

No email que me enviaste referes que não tens tempo para nada, mas tens noção que isso se deve ao facto de estares sempre a olhar para potenciais novas oportunidades, estares sempre a pensar naquilo que queres ser no futuro… calma, relaxa!

O futuro (conforme o imaginamos) leva tempo a revelar-se e por isso, apesar de ser importante saberes onde queres chegar, nesta fase não deverás pensar em muito mais do que isso… deverás utilizar isso como referência para te ajudar a decidir, a cada momento, que caminho pretendes seguir.

Em dezembro de 2014 eu anunciei a toda a minha equipa que 5 anos depois (em 2019) pretendia ter um “canal de televisão na internet”… Nos 5 anos seguintes, todas as decisões que tomei, em termos de formação, de experimentação e de investimentos foram no sentido de me permitir, aos poucos, ir construindo o tal “canal de televisão na internet”.

Eu não sabia muito bem qual seria o formato com o qual me iria identificar, mas fui começando a gravar vídeos das minhas palestras, fui começando a falar para a câmara para ir treinando… e fui partilhando essas primeiras experiências nas redes sociais.

Em função do feedback que recebia, fui percebendo o que estava a fazer bem e mal e o que ia ao encontro dos interesses das pessoas que seguiam o meu trabalho.

Graças à minha decisão de dezembro de 2014, no início de 2021 criei uma nova empresa ligada à produção de conteúdo para portais web… ou seja, 7 anos depois de ter anunciado a minha intenção, consegui chegar onde queria.

Atualmente estou a trabalhar nos projetos que quero que sejam gigantes daqui por 5 anos… mas estou a fazer tudo com calma. Necessito de aprender mais coisas e continuar a partilhar tudo o que faço… só assim é que consigo ir trilhando os melhores caminhos para chegar onde pretendo.

Claro que foi necessário tomar várias decisões importantes na minha vida… fiz uma lista de todos os clientes que tinha e coloquei quanto faturava anualmente com cada um deles… identifiquei os 20% de clientes que geravam 80% da faturação e decidi deixar de trabalhar com os restantes… só por causa dessa decisão, passei a ter mais tempo disponível para pensar, para aprender novas coisas e para experimentar sem parar… sugiro que vejas o vídeo onde falo no princípio de Pareto (ou regra dos (80/20).

Na minha opinião, seria interessante falares com as tuas sócias para tentarem fazer um exercício parecido para o vosso negócio. O tempo livre que passam a ter pode ser utilizado para estudar, para experimentar, para atrair novos clientes brutais, etc… todos teriam muito a ganhar (exceto os teus maus clientes, que seriam “despedidos”) com esse exercício.

Depois disso, sugiro que passes a gerir o teu dia-a-dia em pequenos blocos. Eu estou a responder-te a esta hora porque só vejo (e respondo) a emails 1 vez por dia, depois de almoço! Estou a escrever-te este email e tenho o meu telemóvel em modo de voo… não serei interrompido até acabar de te escrever este email… tenho o cartão vermelho na porta do meu gabinete para que nenhum colaborador me venha interromper o raciocínio enquanto estou a escrever-te este email… percebes a ideia? Gosto de trabalhar no formato de “mono-tarefa” e essa tarefa só é resolvida no bloco diário que eu defini para isso.

Como já leste os meus livros, percebes que não atingi esta disciplina extrema numa semana ou num mês… tenho vindo a obrigar-me a trabalhar assim há vários anos. Ao fim de vários meses, já seria impensável eu voltar aos velhos hábitos porque percebi que me cansavam imenso e que não me permitiam fazer nem 25% do que faço atualmente em 4 horas de trabalho/dia.

Sei que tens muitos sonhos, mas não te desfoques… mantém os sonhos no horizonte para saberes onde queres chegar, mas no dia-a-dia terás que começar a libertar-te de tarefas e de vícios que te prendem na corrida do hamster na roda.

É possível trabalhares muito menos, produzires mais do que produzes atualmente e ires construindo, a pouco e pouco, quem queres ser, ter e fazer daqui a 10 anos.

Não tenho dúvidas que vais lançar livros, cursos online que funcionem enquanto estás a dormir… mas não te foques nisso a curto prazo porque estarás a perseguir algo que só será um sucesso (e só será rentável) se for construído em cima de fundações fortes e de hábitos saudáveis.

Sempre que necessitares de me escrever, escreve!

Não sou teu coach ou psicólogo e por isso já sabes que vais levar na cabeça de forma a que mantenhas o foco no longo prazo e que a curto prazo “apenas” te preocupes em melhorar os hábitos diários.

Não sei se esta era a resposta que esperavas, mas pronto… foi a resposta que me apeteceu dar-te face a tudo o que partilhaste no teu email.

Um beijinho, tudo de bom e até breve.

Negócios, investimentos e um estilo de vida livre

Preenche o campo seguinte para receberes os meus emails semanais.

Área reservada para subscritores

Faça log in para aceder à sua conta.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador.

Negócios, investimentos e um estilo de vida livre

Preenche os dados seguintes para receberes os meus emails semanais.